: home :: palavra pastoral :

PALAVRA PASTORAL


PORQUE JEJUAR?


   O jejum era e ainda é uma prática muito comum nos Orientes Médio e Próximo, sendo um dos rituais religiosos mais difundidos em todas as religiões daquela região. O povo judeu, como os demais habitantes desta região também jejuavam muito. O farisaísmo, por exemplo, obrigava que seus seguidores jejuassem todas as terças e quintas-feiras. Os essênios também jejuavam nestes dias e tinham muitos outros dias específicos para a prática do jejum, além de várias restrições alimentares severas e tantas outras dietas incomuns, como a de João Batista, que só comia mel silvestre e gafanhotos (Mt 3.4).


1º O Jejum gera humildade ou humilhação perante Deus:


“Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo o que era nosso.” (Esdras 8:21 RA)


• Humildade é a virtude que nos dá o sentimento de nossa fraqueza, e também nos leva à demonstração de respeito e de submissão a Deus.


Deus se agrada de pessoas humildes:

“Os sacrifícios para Deus [são] o espírito quebrantado; a [um] coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Salmos 51:17 RC)


“Antes, ele dá maior graça; pelo que diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6 RA)


Precisamos de humildade para reconhecermos que não merecemos nada de Deus, e tudo que Ele nos dá é por sua graça.


2º O Jejum nos ajuda a alcançarmos nossas necessidades:


“Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo o que era nosso.” (Esdras 8:21 RA)


  Os judeus precisavam de uma viagem segura da Babilônia até Jerusalém. Esta viagem demoraria quatro longos meses (Ed 7.7-9), e era muito perigosa por causa dos assaltantes e dos bandos de ladrões, além é claro, dos animais selvagens e dos riscos naturais de uma viagem a pé durante quatro meses com mulheres e crianças.

  Esdras teve vergonha de pedir ao Rei uma escolta armada para a viagem (Ed 8.22-23), pois havia afirmado que Deus os protegeria.

  A viagem foi segura e Deus os livrou dos perigos como se vê em Esdras 8.31-34.


• Ester também jejuou com os demais judeus para alcançar o favor do Rei: (Et 4.16-5.3)


• Neemias jejuou para poder voltar a Jerusalém e reconstruir a cidade (Ne 1.1-2.8)


3º O Jejum serve para nos arrependermos dos nossos pecados:


“Disse mais Samuel: Congregai todo o Israel em Mispa, e orarei por vós ao SENHOR. 6 Congregaram-se em Mispa, tiraram água e a derramaram perante o SENHOR; jejuaram aquele dia e ali disseram: Pecamos contra o SENHOR. E Samuel julgou os filhos de Israel em Mispa.” (1 Samuel 7:5-6 RA)


   O jejum nos lembra nossos pecados e nos leva ao arrependimento. O jejum gera quebrantamento, ou seja, mostra as nossas fraquezas, nossos pecados e nos impulsiona ao arrependimento.


O JEJUM NÃO MUDA DEUS, MAS SIM A NÓS MESMOS


Pastor Clovis Torquato Junior